Pages

Verdade: A gente paga com a boca (sobre ler livros em pdf)

Monday, March 4, 2013
Sabe aquela expressão "a gente paga com a boca?" Eu sou a prova viva de que isso é realmente verdade. E é bem por isso que eu cuido tanto o que vou falar, e é também por isso que eu nunca digo "tomara que tu morra" e esse tipo de coisa. E, tudo bem, na verdade eu acabo dizendo, mas logo depois me arrependo tanto de ter dito que se tivesse funcionado a praga ela desapareceria instantaneamente (ou então voltaria para mim) por meu tormento.

Eu vivia dizendo que Twitter era a coisa mais palha que alguém podia ter. Tanto que meu primeiro tweet foi "Complicado né. Falar mal de Twitter com todas suas forças e criar um." E assim aconteceu também com funk e pagode: eu vivia falando mal de qualquer pessoa que cantasse, e agora eu não consigo manter uma conversa com alguma pessoa sem pensar em algum trecho de algum desses dois estilos — mentira, consigo sim. E não que eu tenha me tornado fã nem nada parecido com isso, só não acho mais motivos para ter preconceito sobre. Assim também aconteceu com coisas bregas: falava horrores de quem usava saias da mãe com casacos da vó, enquanto agora, quanto mais eu conseguir comprar roupas que se pareçam com roupas de vó, melhor. E só mais um último caso: eu falava mal de gente que lia livros no pc, quero dizer, nada melhor do que ler um livro segurando ele, né não? Eu achava que sim, mas acho que estou começando a mudar um pouco meus conceitos.

Sabe aquela onda de "Cinquenta tons de Cinza"? Bom, eu li várias críticas falando mal do livro, e, bom, minha maior vontade era falar mal também, mas tinha um porém: eu não tinha argumentos para falar mal. Quero dizer, eu tinha os argumentos que li, mas não posso me basear TOTALMENTE no que alguém diz, certo? Certo. Então eu resolvi ler. Só que como não queria passar vergonha pedindo emprestado e não queria gastar dinheiro comprando, acabei baixando o livro. Li todo ele em pdf e comecei a achar meio que super divertido (ler em pdf, não o livro), já que eu lia mais rápido do que normalmente eu acabo lendo um livro. Daí então eu queria ler o livro "As Vantagens de ser Invisível", que eu ia pegar emprestado com meu amigo, mas esse amigo meu é tão fissurado em manter as coisas em ordem que tive medo de colocar uma poeira no lugar errado e resolvi ler em pdf também. Foi ótimo, porque li em um dia e não precisei ficar rolando o livro pela casa antes de devolver. E por fim, eu com uma vontade enorme de ler qualquer série de livros que fosse, fui à biblioteca e peguei "Harry Potter e a pedra filosofal", porém larguei e pensei em levar "Olga", mas pensei novamente e resolvi ler Harry Potter. Só quando cheguei em casa percebi a burrada que fiz: peguei o segundo livro ao invés do primeiro (e juro que não sei como procedeu isso). Então para não passar a vergonha de devolver o segundo e pegar o primeiro — "Mas que garota burra!", diria a bibliotecária —, eu baixei o primeiro e li.

E como não existe marcador (que eu saiba) para ler no pc, eu tenho que anotar a página que eu parei. Daí então eu anoto em um papelzinho e deixo ele na frente do computador, onde eu acabo acompanhando o meu avanço. Faço isso também com as séries que eu tô vendo (e então mamãe chama para limpar a cozinha e tenho que anotar em qual minuto parei, para qualquer coisa). Esse aqui é o papelzinho do Harry Potter, que eu li em dois dias, no máximo:



 Então, como fiquei mil anos sem postar nada, provavelmente eu vou fazer um post sobre esses três livros daí e mais algum que eu tenha lido esse ano. Beijocas pros amigos imaginários que eu nem sequer tenho. 

1 Comentários :

  1. Rindo apenas... Gente, eu nem sou assim tá? AH TRII

    ReplyDelete

Não esqueçam de deixar a opinião de vocês, lerei tudo com o maior carinho do mundo ♥
Podem falar mal, criticar, dizer que ficou uma merda (e falar coisas boas também pode ser uma opção). Enfim, expresse sua opinião aqui e faça uma Ribacki feliz :)